A Gruta de São João Batista – Shimon Gibson

Terminei de ler um livro muito, muito interessante:  “A Gruta de São João Batista” de Shimon Gibson.

Este livro trata sobre a descoberta de uma gruta próximo de Ain Karim, a oeste de Jerusalém –  se diz que neste lugar João Batista nasceu – , onde a equipe do autor que é arqueólogo, encontrou vestígios de um antigo ritual que envolvia o uso de água. Um destes vestígios é a imagem riscada em uma parede de um homem que poderia representar o João Batista dos evangelhos canônicos. E o que dizer também de uma rocha dentro da gruta, onde o fulano colava o pé para ser “benzido”.

O autor faz toda uma descrição de como descobriu a gruta, o processo de escavação e como justifica a gruta sendo a que era usada por discípulos de João. Também seus estudos seguem sobre como seriam os ritos acontecidos no local, além de avançar sobre a vida do pregador, sua relação com Jesus e o que aconteceu depois de sua decapitação. E a leitura irá conduzir o leitor também a outros lugares e tempos relacionados ao culto de João Batista e seus ritos.

Não é um livro religioso. Mas Shimon transmite simpatia ao leitor ao opinar sobre os rituais de batismo, fundamentando-se em seu senso de pesquisador. Pelo menos foi o que senti durante a leitura.

O livro mostra o quão João Batista foi importante e o quanto seu papel foi diminuído nos evangelhos canônicos para que Jesus ficasse em cena. Os religiosos podem pensar sobre isso com naturalidade, já que foram educados para pensar dessa maneira. Mas a reflexão proposta pelo autor do livro, faz nos considerar sobre as relações de poder que sempre existem em todos os setores da vida. Algumas perguntas incômodas podem vir ao leitor religioso, durante a leitura. Mas se estiver de mente aberta, as respostas podem contribuir para a sua espiritualidade. Mas repito, o livro não faz nenhuma proposta espiritual ou religiosa. É escrito por um cientista arqueólogo que descreve sua entusiasmante descoberta.

A Gruta de São João Batista é um livro que destaca e restaura a memória de um personagem bíblico importante e que foi especialmente cultuado nos primeiros séculos da era cristã.  Particularmente, meu interesse neste livro foi mais sobre o que João Batista representou do que sua historicidade. O estudo sobre o dito profeta pode trazer muito esclarecimento sobre assuntos relacionados.

Tem ilustrações? Teeem! Tem fotozinhas? Teeem! Um livro que tem seu lugar na estante para estudiosos interessados ou praticantes do cristianismo. Tem um tom acadêmico, mas escreve com desenvoltura para qualquer leitor. E deixa no final do livro um bibliografia extensa. Eu gostei demais.